Qual a melhor ferramenta de Business Intelligence (BI) para o profissional de marketing?

  • por

Uma das principais vantagens da utilização da mídia digital é a disponibilidade de dados que proporciona. É possível acompanhar de forma detalhada a performance de que as campanhas digitais estão desempenhando e tomar ações com agilidade para otimizá-las. Diante disso, existe um universo de obtenção de dados bem robusto e através de ferramentas apropriadas, esse universo pode proporcionar incríveis análises para obtenção de insights.

Por que usar ferramentas de BI no marketing digital?

 Estamos falando de dados com um nível de granularidade bem complexo, sendo detalhados por plataforma, formato, data, público, localização, dispositivo, etc. Com uma granularidade desse porte, as bases de dados se tornam extensas e o uso de planilhas nesse cenário se torna uma tarefa árdua, então surge a necessidade do uso de ferramentas de BI.

De maneira geral, as ferramentas de BI permitem a construção de dashboards interativos, possibilitando a rotina de acompanhamento de resultados mais prática e mais analítica.   

Quais as principais ferramentas de BI usadas no mercado?

Vamos explorar as ferramentas de BI mais aplicadas no marketing digital: Google Data Studio, Microsoft Power BI e Tableau. Iremos avaliar 4 critérios: conexões com fontes de dados, tratamento de dados, criação de visualizações e compartilhamento.

1. Google Data Studio

Conexões: a principal vantagem do Google Data Studio para o público de marketing é ter conexões nativas com as plataformas de mídia do próprio Google (Google Ads, Google Analytics, Display & Video 360, Campaign Manager 360). Também é possível se conectar a arquivos locais e databases do Google (BigQuery, MySQL). Para se conectar a outras plataformas, existem conectores desenvolvidos por parceiros, que possuem um período de teste gratuito e após isso, se tornam pagos.

Tratamento de dados: não é possível fazer cruzamentos de dados de diferentes origens e também não é possível fazer um tratamento dos dados, sendo necessário que já cheguem organizados para uso.

Visualizações: as possibilidades de visualização são básicas, contemplando os principais tipos utilizados. Para complementar, a interação entre filtros e seleções funcionam bem.

Compartilhamento: o compartilhamento dos dashboards é feito pelo link, na mesma lógica do Google Sheets ou Google Docs, podendo controlar a visualização para usuários específicos do Gmail.

2. Microsoft Power BI

Conexões: a ferramenta possui diversas possibilidades de conexões com arquivos locais e bases de dados online, além de conexão via API.

Tratamento de dados: o Power BI permite um tratamento de dados bem completo, utilizando o Power Query, onde é possível cruzar, estruturar e limpar fontes de dados.

Visualizações: as possibilidades de visualizações e interações são bem completas, permitindo criar gráficos simples ou gráficos mais complexos.

Compartilhamento: o compartilhamento dos dashboards na versão gratuita pode ser feito pela publicação na web, sendo gerado um link com o painel. Entretanto, não é possível fazer o controle de usuários nessa versão. Para o compartilhamento dos dashboards em ambientes privados e controlados, é necessário adquirir licenças pagas do Power BI.

3. Tableau

Conexões: a ferramenta possui diversas possibilidades de conexões com arquivos locais e bases de dados online, além de permitir o desenvolvimento de conectores personalizados.

Tratamento de dados: a versão gratuita do Tableau permite um tratamento de dados básico, sendo possível cruzar, estruturar e limpar fontes de dados. Entretanto, o Tableau Prep (versão paga) garante muito mais eficiência e agilidade na preparação dos dados.

Visualizações: as possibilidades de visualizações e interações vão das mais simples às mais avançadas, permitindo desenvolver visualizações personalizáveis e inovadoras.

Compartilhamento: o compartilhamento dos dashboards na versão gratuita é feito na galeria do Tableau Public, estando disponível para qualquer usuário da internet acessar. Para um compartilhamento privado, é necessário adquirir a licença do Tableau Online. O destaque no Tableau Online é o alto nível de interação com os dados, sendo possível configurar alertas nos dados e fazer consultas nas bases de dados usando uma linguagem amigável.

E qual ferramenta é a melhor?

Utilizando ferramentas como essas, a rotina de acompanhamento e análise de dados de mídia digital se torna muito mais ágil e completa. Destacamos que não há a melhor ferramenta. Existe a ferramenta mais apropriada para o nível de maturidade digital e do cenário de investimento de cada empresa. Sendo assim, todas contribuem para uma rotina data-driven e possibilitam extrair insights para otimizar resultados.