Dica de Livro: Storytelling com Dados, de Cole Nussbaumer Knaflic

  • por
Resenha do livro Storytelling com Dados

Quem procura um manual de como usar dados para apresentar ideias, conclusões, argumentos e sugerir ações, encontra neste livro exatamente o que precisa. Em Storytelling com Dados, Cole Nussbaumer sai da discussão mais técnica sobre análise e visualização de dados, indo para o propósito de se fazer isso. 

Dados são exibidos para que se chegue a um entendimento e se vá para a ação. Isso não pode sair da cabeça do analista de dados, que, por vezes, se perde no arsenal de ferramentas e recursos disponíveis. Todos eles são meios para um fim, que é melhorar a compreensão de fenômenos e tomar decisões mais efetivas.

Para fazer visualizações de dados melhores, a autora aponta seis lições. São elas:

1 – A importância do contexto: antes de tudo, é importante ter claro quem é o público que verá os dados e o que se espera que ele faça. Se é uma apresentação para a diretoria de marketing de um cliente e se espera que ele aprove um novo aporte em uma campanha de mídia programática, é preciso ter isso em mente antes de criar as visualizações.

2 – A escolha de um visual eficaz: gráficos de linhas são bons para mostrar tendências, barras verticais para comparativos e texto simples para destacar uma informação. Não é recomendado usar gráficos de pizza ou efeito 3 D num painel, pois eles tornam difícil perceber as variações.

3 – A saturação é sua inimiga: quando se quer comunicar algo, menos é mais. Ao invés de entulhar legendas, cores e gráficos, é importante ter claro o que é essencial ali, onde se quer que o público preste atenção? Daí, deve-se tirar todos os elementos dispersivos.

4 – Focalize a atenção do seu público: aqui, a autora fala sobre atributos pré-atentivos, que ajudam a direcionar o foco das pessoas, e de como se deve usar cores de forma muito parcimoniosa e estratégica para destacar algo.

5 – Pense como um designer: tudo que esteja numa visualização de dados deve ter uma função e estar numa forma adequada. Por exemplo, se houver um filtro de data, precisa estar claro como ele funciona (as pessoas associam datas a calendários, por exemplo).

6 – Storytelling: um painel de visualização de dados deve contar uma história. Isso precisa ficar claro para quem está fazendo o dashboard e ser perceptível para quem o vê. A autora apresenta técnicas de storytelling, das mais simples (como a aristotélica regra de que uma história deve ter começo, meio e fim) às mais modernas, como a do storyboard inverso e a big idea.

No final do livro, a autora apresenta estudos de casos, para exemplificar a aplicação desses conceitos na prática e sugere que a forma mais eficiente de se aprender algo é exercitando. 

Todo o livro é muito bem diagramado e ilustrado, escrito de maneira leve e consistente. É um livro técnico, mas gostoso de ler. Serve tanto para uma leitura descompromissada, num horário de descanso, como para ter na mesa de trabalho para consultar na hora de criar uma visualização de dados.

LIVRO – Storytelling com dados: um guia sobre visualização de dados para profissionais de negócios
AUTOR – Cole Nussbaumer Knaflic
PÁGINAS – 256
ONDE COMPRAR – Storytelling com dados