Segundo o estudo Digital Ad Spend 2018, divulgado pelo IAB Brasil na última segunda (21), o mercado de publicidade digital passou a corresponder por cerca de ⅓ do montante de investimentos do setor de publicidade brasileiro.

Com um crescimento de 25,4%, o volume de negócios passou de R$ 11,8 bilhões, em 2016, para R$ 14,8 bilhões em 2017. A mídia programática cresceu 74%, avançando de R$ 1,9 bilhão em 2016 para R$ 3,3 bilhões no ano passado.

O desenvolvimento desse setor no mercado publicitário local e nacional, além das principais tendências de estratégias e novas tecnologias em campanhas Data Driven, foram alguns dos assuntos abordados na última edição do Open Zygon, realizada na sexta-feira (18), com a equipe de Mídia Digital e Business Intelligence da agência Propeg.

Com foco nas tendências mundiais apresentadas no Programmatic I/O 2018, Lucas Reis, CEO da Zygon, relacionou os mercados brasileiro e mundial de Mídia Programática. De acordo com o executivo “o objetivo dessa comparação é saber o itinerário que deu certo para replicar de forma mais assertiva nacionalmente”.

Ele ainda enfatizou o crescimento do interesse na utilização de dados secundários (2nd party), fenômeno altamente positivo para gerar uma maior segmentação de campanhas destinadas a públicos de diversos mercados. “Quanto mais específicos os dados, como os colhidos por publishers locais, e-commerces, etc, maior será a precisão nas entregas das campanhas” afirmou Lucas.

Outro destaque da apresentação foi o crescimento de estratégias cross device, como anúncios de vídeo em inventários de TV conectada (CTV). Em 2018, a compra programática de inventário CTV deixa de ser uma promessa e se torna uma realidade da indústria, tendo participação de 2,8% do mercado de Mídia Programática nos EUA, cerca de US$ 2 Bi em investimentos.

Influenciadores e Mídia Programática: novos aliados

Assim como a CTV, outra tendência crescente para a veiculação de anúncios em vídeo é o uso do Influencer Marketing aliado a Programática. O CSO da Zygon, Urbano Sampaio, contextualizou o uso desta estratégia para campanhas de grandes anunciantes de diferentes setores da economia, clientes das agências.

Ele destacou que, enquanto o influenciador garante conteúdo de qualidade e altamente segmentado, o uso da programática permite mensurar e escalar as audiências impactadas por campanhas que utilizam Digital Influencers.

“O Influenciador Digital exerce uma autoridade sobre sua rede de seguidores, no que se refere a um determinado assunto ou segmento. Com a Programática podemos extrapolar, aumentando a cobertura da ação e intensificando a frequência da mensagem” afirmou Urbano. Essa ampliação de alcance da mensagem acontece por meio do chamado look-alike.

É possível estudar os seguidores do influenciador e traçar perfis semelhantes para impactá-los com campanhas de programática.

“Com isso, construímos uma base de audiência qualificada, clusterizável e reativável, que pode ser impactada com diferentes formatos de criativos, principalmente em vídeo, e com diferentes estratégias, como retargeting, upselling e cross selling” reiterou Urbano.

Open Zygon

Em 2018 a Zygon Digital criou o Open Zygon. O evento acontece periodicamente, e tem o objetivo de apresentar estratégias do marketing guiado por dados e da Mídia Programática aplicados à realidade dos parceiros, com a demonstração de cases, entre outros materiais.