15 exemplos do que é possível fazer com o Google Analytics 4 (GA4)

15 exemplos do que é possível fazer com o Google Analytics 4 (GA4)

Escrito por
Lucas Reis

Com certeza você já ouviu falar sobre a versão 4 do Google Analytics, o GA 4, e, talvez, esteja até receoso, já que esta passará a ser a única versão disponível a partir do dia 31 de julho de 2023. Você pode ter várias questões, como “O que o Google Analytics 4 traz de novo?”, “Quais funcionalidades tem no GA 4?”, “Como instalar o novo GA 4?”, “O que acontecerá com meus dados da antiga versão?” etc.
É fato que a versão Universal do Google Analytics deixará de coletar dados em meados de 2023, e, a partir daí, apenas o GA 4 estará disponível. Há motivos diversos para o Google tomar esta decisão, e neste artigo vou relatar o que o novo Google Analytics 4 traz de novo.

POR QUE O GOOGLE ANALYTICS 4 FOI LANÇADO?

O Google tinha duas ferramentas de Analytics: o Google Analytics Universal e Google Analytics for Firebase. Uma plataforma era feita para monitorar ambientes Web, a outra, ambientes in app. O problema de ter duas plataformas diferentes é que torna muito mais difícil para as empresas comparar e analisar seus dados de maneira eficaz. O novo GA 4 resolve isso, ao ser capaz de monitorar usuários tanto em páginas web como dentro de aplicativos.

O que você tem com o GA4 é uma reescrita completa do Google Analytics que você conhecia, que inclui um novo modelo de dados, uma nova interface e nenhuma compatibilidade com versões anteriores para seus dados anteriores somente da web.

COMO O GOOGLE ANALYTICS 4 ORGANIZA OS DADOS?

Quando falamos sobre o novo modelo de dados que vem com o GA4, precisamos pensar de onde vinham os dados com o antigo Google Analytics. Os tipos de hit usados para coletar dados se enquadram nestas categorias:

  • Eventos
  • Visualizações de página
  • Comércio eletrônico
  • Horários do usuário
  • Interações sociais
  • Exceções
  • Telas

O novo modelo de dados do GA4 não coleta dados com base em “hits”, mas se concentra em eventos. Isso torna muito mais simples de rastrear.

Ao aplicar parâmetros ao evento, você não apenas obtém muito mais flexibilidade, mas a configuração também é muito mais fácil.

QUE NOVOS RECURSOS PODEMOS ENCONTRAR NO GOOGLE ANALYTICS 4?

O novo modelo de dados fornece uma mudança de paradigma no Analytics, mas como isso se traduz em benefícios e quais outros novos recursos ele possibilita?

1. Relatórios de funil aprimorados
O novo GA4 inclui alguns novos recursos interessantes de funis que não existiam no modelo antigo ou estavam disponíveis apenas como extras pagos como parte do GA360. O novo recurso permite que você crie novos funis em tempo real, retroativos e com as condições que desejar.

2. Funis de tendências
Um funil de tendências permite que você acompanhe cada etapa do seu funil em um gráfico para ver como ele muda com o tempo e como diferentes elementos afetam a trajetória.

3. Funis abertos x fechados
Outro novo recurso com funis permite criar funis abertos ou fechados. Com um funil aberto, você pode permitir a entrada em qualquer etapa do processo, enquanto um funil fechado permite apenas a entrada na etapa um.

4. Tempo decorrido entre as etapas
Na versão existente do Analytics, é muito difícil medir o tempo entre as etapas em seus funis. Por exemplo, quanto tempo leva para um usuário acessar seu site e adicionar um item ao carrinho? Quanto tempo entre adicionar ao carrinho e comprar?
A nova versão fornece dados sobre o tempo entre as etapas em seus funis. Basta ativar a caixa de seleção Mostrar tempo decorrido para mostrar esses dados.

5. Próxima ação
A nova versão também facilita a visualização da próxima ação do usuário no funil para que você possa acompanhar facilmente as jornadas do usuário.

6. Novos Relatórios de Caminho
A nova versão do Analytics possui outros tipos de relatórios que nem estão disponíveis no atual GA360. Um exemplo disso são os relatórios de pathing, que mostram o fluxo do usuário pelo seu site. Os relatórios atuais de fluxo do usuário no GA são altamente amostrados e muito rígidos. Os novos relatórios de pathing resolvem esses problemas para os usuários do Analytics, permitindo que você visualize facilmente eventos ou páginas, clique para ver para onde o usuário vai em seguida e é muito mais fácil agrupar, segmentar ou fazer outros tipos de análise de pathing.

7. Novos relatórios em tempo real
Os relatórios atuais em tempo real disponíveis no Analytics parecem um pouco desatualizados. Além disso, eles não são flexíveis ou transparentes o suficiente e são difíceis de usar. Com os novos relatórios em tempo real, você tem acesso a muito mais parâmetros e dados do que antes.

8. Novos relatórios padrão
Juntamente com todos esses relatórios novos e empolgantes, também obtivemos melhorias nos relatórios existentes. Como a nova versão do GA4 foi criada do zero, prepare-se para novos recursos e visuais diferentes.
A suíte de relatórios tradicional era: Audiência, Aquisições, Comportamento e Conversões. O GA4 tenta simplificar os relatórios, tornando mais fácil para você encontrar o que procura. No menu lateral, você poderá navegar facilmente para relatórios sobre Usuários, Demografia, Comportamento e Tecnologia. Além disso, você poderá visualizar todos os dados de Eventos, incluindo Conversões.
A interface do usuário também foi atualizada para que você possa ver os dados em tempo real.

9. Novos relatórios multiplataforma
Se você tiver um ID de usuário comum que esteja rastreando, poderá ver os dados combinados nas plataformas web, Android e iOS.
Isso é possível com a nova funcionalidade de identidade de relatório. Atualmente, para identificar e rastrear usuários, o Google usa cookies. No entanto, para rastrear o mesmo usuário em vários dispositivos, os cookies não são úteis, portanto, o Google também permite que você envie o ID do usuário para rastrear o mesmo usuário em vários dispositivos. O problema com isso é que o Google separa os dados do usuário de usuários anônimos e identificados em diferentes relatórios.
Com o GA4, eles conseguiram consolidar isso. Agora, quando um usuário faz login com seu ID, o Google rastreia esse usuário por ID de usuário e, se não fizer login, o padrão é o rastreamento anônimo por dispositivo. Se desejar, você pode mudar o padrão para rastrear apenas dados anônimos. O melhor é que ele aplicará essas configurações a todos os seus dados existentes sempre que você alternar entre as duas configurações, sem fazer alterações permanentes.

10. Depuração aprimorada
A exibição de depuração é um novo recurso em que você pode enviar todos os seus dados de teste para um relatório especificamente para depuração. Isso torna a solução de problemas muito mais fácil:

  • Veja os fluxos de dados em ordem
  • Clique em qualquer dado para verificar se os metadados estão corretos
  • Identificar e resolver problemas de forma rápida e fácil

11. Medição Automática
Um dos problemas com a obtenção de dados úteis do Analytics era que você precisava configurar várias tags diferentes para rastrear todas as métricas diferentes. Com a nova versão, basta ativar o Enhanced Measurement e todos esses parâmetros são rastreados automaticamente.
Na verdade, a Medição Aprimorada é ativada por padrão e deixa para você remover coisas que não precisa.

12. Novo criador de público
Usando segmentos avançados (criador de público), você pode criar um público em tempo real e, em seguida, criar um novo relatório para informá-lo sobre esse público.
O GA4 pegou o construtor de público existente e adicionou ainda mais recursos, como novo escopo de evento, duração, sequências baseadas em tempo e uma opção de ‘exclusão’.
Por exemplo, se você tiver um formulário de 5 etapas e quiser saber quantas pessoas o preencheram em menos de 5 minutos, o sistema antigo não permitiria fazer isso, mas agora pode fazê-lo com as novas sequências baseadas em tempo .
As opções de exclusão permitem que você exclua temporariamente ou permanentemente, enquanto antes você só podia excluir permanentemente.

13. Acompanhamento simplificado de conversões
Na antiga plataforma GA, você só podia acompanhar as conversões de forma eficaz se tivesse metas configuradas. Sem isso, você perderia muitos recursos importantes. Os dados de conversão são essenciais para o seu negócio e a nova versão tornou super simples de rastrear. Tudo o que você precisa fazer é encontrar o evento que deseja acompanhar na página Eventos e ativar a opção Marcar como conversão.
Você pode definir um total de 30 conversões e ativá-las ou desativá-las facilmente se quiser alterar o que está rastreando.

14. Nova vinculação de anúncios do Google / análise preditiva
Tudo o que você cria no Google Ads é compartilhado automaticamente com sua conta do Analytics e vice-versa. Portanto, se você criou públicos em sua conta do Analytics, eles são compartilhados automaticamente com o Google Ads. Isso é útil e uma maneira fácil de compartilhar dados se você tiver dois gerentes diferentes para suas contas do Google Analytics e de anúncios.
Além disso, o Google adicionou recursos preditivos, portanto, se você estiver usando o GA4, o Google criará públicos e modelos preditivos de comportamento para eles. Existem duas dessas métricas; probabilidade de compra e probabilidade de rotatividade. Por exemplo, com base no comportamento de um usuário que visitou seu site nos últimos 7 dias, o Google informará a probabilidade de ele visitar novamente nos próximos 7 dias. Isso pode ser muito valioso para ajudá-lo a decidir onde colocar seus gastos futuros com anúncios.

15. Vinculação gratuita do BigQuery
Há um recurso que os usuários do Analytics pedem mais do que qualquer outro: as integrações. A API do antigo Analytics tem suas limitações e, portanto, oferecer links gratuitos para o BigQuery consegue resolver muitos desses problemas.
Tudo o que você precisa fazer é importar seus dados para o BigQuery e, em seguida, disponibilizar esses dados brutos para vincular e integrar a qualquer plataforma que desejar.

O Google Analytics 4 é a solução do Google para um monitoramento da jornada dos usuários num mundo pós-cookies, multidispositivos e em que privacidade é importante. A adoção desta nova plataforma vai destravar muito do potencial do data analytics para otimização da experiência do consumidor, e, consequentemente, aumento da eficiência das ações de marketing.